quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Descoberto um terceiro tipo de colesterol.

Para além dos chamados "bom" e "mau" colesteróis – respetivamente, o colesterol HDL e o colesterol LDL –, existe um terceiro tipo, designado colesterol ‘feio’, que quase ninguém conhece. E é precisamente este o “vilão” que mais faz aumentar o risco de bloqueio das artérias, a principal causa de ataque cardíaco, designada aterosclerose. Estima-se que as doenças cardiovasculares matem anualmente cerca de 17 milhões de pessoas em todo o mundo (dados da OMS – Organização Mundial de Saúde). A soma dos dois colesteróis mais conhecidos, o ‘bom’ (HDL, de alta densidade) e o “mau” (LDL, de baixa densidade), é diferente do valor do colesterol total. E é nessa discrepância que se esconde o colesterol “feio”, ou “remanescente”, de densidade bastante mais baixa do que o colesterol ‘mau’. Cientistas da Universidade de Copenhagen realizaram um estudo com 73 mil participantes dinamarqueses, sendo que quase 12 mil dos quais tinham sido diagnosticados, entre 1976 e 2010, com uma doença cardiovascular. Cerca de 20 mil desses participantes apresentavam, devido a mutações genéticas, altos níveis do tal colesterol ‘feio’. Os resultados mostraram, pela primeira vez, que existe uma relação causal entre os altos níveis de colesterol ‘feio’ e a aterosclerose – pessoas com altos níveis deste tipo de colesterol correm um risco quase três vezes superior a outras de desenvolver uma cardiopatia isquêmica. Ou seja, até podemos ter níveis razoáveis de bom colesterol; mas se tivermos um nível de colesterol “feio” elevado, o risco de cardiopatia isquêmica será igualmente alto. Há maneira de evitar o vilão? Sim, evitando o excesso de peso e a obesidade. ‘Os altos níveis de colesterol feio resultam de altos níveis de gordura no sangue (triglicerídios). Portanto, as pessoas com altos níveis deste colesterol devem ser aconselhadas a perder peso. Alguns medicamentos, como a sinvastatina, também poderão ajudar a diminuir os níveis.

Nenhum comentário: