domingo, 21 de dezembro de 2008

E Quando Não For Natal?


23 de dezembro, ante-véspera do Natal. Mas... e quando não for Natal? Será que algum vento desavisado ainda trará canções alegres, dessas que faz gente grande rir à toa?
Será que as crianças abandonadas serão lembradas por alguma alma que esqueceu que o Natal passou, mas não passou a solidariedade? Será que os velhos nos asilos ainda manterão as esperanças das visitas que não vieram, dos abraços que não receberam, dos risos que não riram? E quando não for Natal... Será que as pessoas continuarão abertas para o perdão, generosas nos julgamentos e aliadas em campanhas de solidariedades? Será que as casas serão iluminadas pelas luzes invisíveis do amor e as crianças manterão suas crenças no bom velhinho? E quando não for Natal... Será que a estrela de Belém apagará o seu brilho e a humanidade não mais encontrará o caminho que leva a Jesus? Será que a árvore e os enfeites natalinos voltarão ao maleiro e deixarão de viver por mais onze meses? Então, quando não for Natal...
Que a criança renasça todos os dias em todos os corações, e que seja livre para alcançar estrelas num salto... Que o Deus menino continue a sorrir no presépio dos nossos corações e a amizade seja elos de uma corrente que sentimento algum a faça romper... Que a magia do Natal seja eterna, para fazer de cada dia, um dia tão especial que nossos espíritos se encontrem, no amor, na vida e muito mais... Feliz Natal!

Nenhum comentário: