quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Conheça a Esclerose Múltipla.

A Esclerose Múltipla é uma doença neurológica degenerativa e incapacitante que afeta o cérebro e a medula de maneira progressiva, e continua a piorar com o passar do tempo. As células nervosas regularmente são rodeadas por uma espécie de “capa” isolante feita de uma substância gordurosa chamada mielina que ajuda a transmitir os impulsos nervosos. Na E.M. esta cobertura de mielina está lesada reduzindo a velocidade de transmissão dos impulsos nervosos e deixa uma área de cicatriz chamada esclerose. Estas áreas de lesão da mielina e as cicatrizes são chamadas placas de esclerose múltipla. O rompimento dos sinais nervosos causa uma variedade de sintomas que podem afetar a visão, a sensibilidade e os movimentos do corpo. Estes sintomas normalmente vêm e vão através de uma série de crises em que os sintomas tornam-se piores de repente, alternando com períodos de recuperação, quando os sintomas melhoram, porém muitas pessoas têm uma história longa de ataques de E.M. durante várias décadas. Embora a causa exata da doença tenha sido debatida durante anos, os cientistas hoje acreditam que ela seja auto-imune, ou seja, o sistema imunológico ataca seu próprio corpo, neste caso, as coberturas de mielina de nossos nervos. Em alguns casos, o disparo para um ataque de esclerose múltipla parece ser uma infecção viral, mas em outros episódios, pode ser desencadeada por stress físico ou emocional. Como regra, a cronometragem, duração e lesão dos ataques da esclerose múltipla são imprevisíveis. A E.M. é a doença neurológica mais comum em pessoas jovens, e afeta mais de 1 milhão de adultos jovens mundialmente. É cinco vezes mais comum em climas temperados que nos trópicos e afeta duas vezes mais as mulheres que os homens. Parentes próximos de uma pessoa afetada são oito vezes mais prováveis de contrair a doença, e os filhos dessa pessoa têm 30 a 50 vezes maior risco. Porém, embora os fatores genéticos pareçam desempenhar um grande papel no desenvolvimento desta doença, nenhum único gene de esclerose múltipla foi identificado. Ao contrário, os cientistas suspeitam que a esclerose múltipla se desenvolva por causa da influência de vários genes agindo em conjunto. Embora os sintomas da esclerose múltipla normalmente comecem antes dos 40 anos de idade, pessoas entre 40 e 60 anos de idade às vezes são afetadas.

2 comentários:

luciano disse...

Cara, vou fazer uns comentários de jornalista...evite a repetição de palavras ou expressões...no caso desse post, esclerose múltipla apareceu diversas vezes. Você pode substituir por outras palavras como doença (que também apareceu), E.M, o mal etc. Nesse caso em especial você falou sobre uma doença que acredita-se ser auto-imune, mas será que não existe algum tipo de tratamento que auxilie o organismo nessa defesa? Como é que andam as estatísticas no Brasil? A doença afeta duas vezes mais mulheres do que homens. Porquê?
Bem, isso é só o começo..hehehe...eu acho que tô ficando meio chato pra essas coisas...mas como esse blog também deve um instrumento de pesquisa, fiquei curioso sobre outros aspectos da doença. No mais, seu texto é muito bom e a sua iniciativa, extremamente louvável. Parabéns!

Leonardo Sapucaia disse...

Valeu a força. Já fiz as modificações que você sugeriu. Veja se melhorou e sempre que puder mande comentários.